Sem FOTO:441

Vilarinho de Negrões

Concelho de Montalegre

Em plena albufeira da barragem de Pisões, encontra-se uma aldeia perdida nos recortes das margens do rio Rabagão, que corre em paralelo ao rio Cávado e ali se concentra. Como uma aldeia flutuante, é na margem esquerda da albufeira que Vilarinho de Negrões se afirma como uma das mais rústicas e pitorescas desta região. Em razoável estado de preservação, pode ver-se muito do seu antigo edificado num espaço que convive com a ruralidade segundo rotinas ancestrais que teimam em não desaparecer. Desta barragem, erguida em 1964 no concelho de Montalegre, também se ouve a designação de Alto Rabagão, e quando do paredão, olhamos em volta, esbarramos com interessantes formas de relevo nomeadamente a sul, os «cornos» das Alturas de Barroso

Com nascente entre as serras do Barroso e do Larouco, o rio Rabagão atravessa todo o concelho de Montalegre ao longo de 37 quilómetros abraçando Vilarinho de Negrões, e quando atinge a sua cota máxima, transforma esta localidade numa pequenina península à qual chamam ilha. Quando as águas estão no seu ponto mais alto parecem entrar pelas casas dando a sensação de isolamento para quem observa. Em tempos de menor precipitação, a albufeira vê as suas águas contidas de forma mais tímida, e Vilarinho de Negrões transfigura-se para uma paisagem menos fresca, ainda que seja de Inverno, onde as bordas das vertentes que beijam as águas, mostram tons mais secos e mais áridos, formando praias fluviais. 

Para aqui chegar, parte-se da margem direita do rio onde se encontra a localidade de Pisões, pela N 103, e ruma-se à aldeia de Vilarinho de Negrões contornando toda a albufeira. A outra possibilidade obriga a atravessar o paredão da sumptuosa barragem e contornar a sul. Pelos dois itinerários, em ambas perspectivas, podem-se apreciar elementos paisagísticos, naturais e humanos, dignos de nos transportarem para outras paragens e outras eras.

Quem visita Vilarinho de Negrões, situada na freguesia de Negrões concelho de Montalegre, vivencia os costumes de uma aldeia tipicamente transmontana, com gentes ligadas à terra, de práticas agrícolas imemoriais como se o tempo não tivesse por ali passado. Sente-se, no entanto, o despovoamento característico de toda esta região de Trás-os- Montes e Barroso cujo abandono de casas e campos chega a desolar o observador. 

Quem se passeia em Vilarinho de Negrões pode contemplar fontanários muito antigos, datas nas casas que mostram bem a sua ancestralidade mas em razoável estado de conservação, capelas e até um relógio de sol. Para saciar o apetite de quem, com todos os sentidos absorve esta jóia transmontana, nada melhor que saborear a gastronomia que Vilarinho de Negrões tem para oferecer. O típico cozido à portuguesa, versão do local, alheiras, azeite, broa, azeitonas e vinho da região que deixam a promessa de um regresso a um Portugal “profundo”, quase desconhecido, quase esquecido.

Da história de Vilarinho de Negrões pouco se sabe para além de um ilustre e condenado monárquico de seu nome Domingos Pereira, que se recusou a aceitar a república em 1910 e lutou sempre pela restauração da monarquia até falecer em 1942. Nomeado sacerdote em 1862, filiou-se no partido progressista enquanto abade de Refojos e conhece Paiva Couceiro. Com ele luta a partir da Galiza pela restauração do regime monárquico e é um elemento importante do movimento de proclamação da “monarquia do Norte” em 1919. 

Novamente derrotado, busca o exílio em Espanha, sendo condenado à revelia a 20 anos de prisão. Regressa às escondidas e vem a morrer em Cabeceiras de Basto em 1942.Ficaram de tal forma conhecidas as suas acções militares que mesmo o perdão de Sidónio Pais aos monárquicos que andaram envolvidos nestes movimentos e no intuito de obter uma conciliação de todos os Portugueses, foram dele excluídos apenas duas pessoas: o próprio Paiva Couceiro e este Domingos Pereira, natural da aldeia de Vilarinho de Negrões.

TEXTO de Salomé Reis para os portais RegiaoCentro.ORG e RegiaoNorte.Net

 

COMENTÁRIOS DOS LEITORES

Ainda não há comentários para este artigo.

Find more about Weather in Coimbra, PO
Click for weather forecast

NEWSLETTER

Subscrever a newsletter:



Sair da newsletter:

ARRENDA-SE.NET

Quartos, apartamentos, casas, etc

RECADINHOS

Últimos recadinhos dos leitores:

Congratulations for the site. It is very nice to get more informations about Portugal. A beautiful country.
Matheus Smith 2016-07-30 23:39:20


RELÓGIO

Veja que horas são no mundo

NOTÍCIAS

Jornal O PÚBLICO

Oito distritos do Norte e Centro sob aviso amarelo devido à neve
O aviso para os distritos de Bragança, Viseu, Porto, Guarda, Vila Real, Viana do Castelo, Castelo Branco e Braga vigora entre quinta e sexta-feira.

Presidente da associação de juízes diz que PGR revelou “mau perder” no caso da Madeira
Procuradoria-Geral da República contestou o entendimento do juiz Jorge Bernardes de Melo de não haver indícios de crimes dos três detidos no caso da Madeira.

MP pede condenação por “documento falsificado” de coronel que dirigia Comandos no ano do curso fatal
Coronel Dores Moreira foi acusado de falsificação de documento em co-autoria com outro oficial dos Comandos. Advogados de defesa pedem a sua absolvição.

Os europeus não se estão a sentir heróicos e é pena
Na falta desse sentimento de heroísmo, há um grupo maioritário de inquiridos que deseja que o conflito acabe com um acordo, o que, dois anos depois, mais do que pessimista, é derrotista. Editorial deSónia Sapage

Europeus estão mais pessimistas em relação a uma vitória da Ucrânia
Portugal está entre os países em que mais se acredita num desfecho favorável a Kiev e em que se defende com mais intensidade a continuidade do apoio militar e financeiro.

Comida de cão nas escolas e “guerra civil” na Ucrânia. O debate dos partidos sem assento
Nove partidos e uma coligação sem assento parlamentar, mas que têm o objectivo de entrar no Parlamento, debateram esta terça-feira. O recém-formado Nova Direita era o único estreante no debate.

NOTÍCIAS

Jornal EXPRESSO

(c) 2014 Portal REGIAOCENTRO.ORG

Termos de Serviço

Privacidade