REGIAOCENTRO.ORG
Sem FOTO:1

A arquitectura industrial do sec. XX e a azulejaria portuguesa

azulejaria portuguesa

 

O desenvolvimento económico e social que se operou na viragem do século XIX para o XX levou ao surgimento de uma classe urbana de pequenos industriais e comerciantes, atenta aos novos consumos e modas da época. A estética Arte Nova, veio servir os interesses desta burguesia, na renovação de hábitos sociais e desenvolvimento cosmopolita do início do século xx, que estiveram na origem do aparecimento de superfícies edificadas “modernas". O gosto Arte Nova possibilitou, com o emprego do azulejo, um estilo decorativo mais fácil de “modernizar” fachadas, por vezes incaracterísticas, através do colorido vibrante, da saturação dos ornatos e da sensualidade das formas. Os edifícios fabris e os estabelecimentos comerciais ostentavam letreiros e painéis figurativos e ornamentais que serviam para anunciar as próprias lojas e a especialidade dos produtos ou serviços aí vendidos. Para além de um sinal de modernidade era uma forma de atrair a atenção dos clientes, tirando partido das potencialidades plásticas do azulejo: a cor, a forma, a textura, o desenho, o brilho. 

Pelas vantagens higiénicas e de resistência que o azulejo oferecia, aliadas ao relativo baixo custo, as primeiras experiências da utilização publicitária do azulejo compreendiam os painéis para revestimento de fachadas.

A Serralharia Progresso edificada em estilo Arte Nova, localizada na rua 8 e 33 em Espinho, filial da Fábrica de Manuel Francisco da Silva, em Macieira de Cambra, inaugurada em 1914 é disso exemplo. As instalações da unidade fabril foram sofrendo aumentos para a vitrificação e a fundição, o que lhe conferiu a designação mais conhecida dos espinhenses, Fundição Progresso. Estes espaços da fábrica sofreram um incêndio em 1933 reduzindo a escombros as secções de fundição, alumínio e serralharia. Após uma longa história de desenvolvimento industrial a fábrica foi encerrada em 1990 e em 2003 foi demolida para construção de uma unidade habitacional e comercial.

Os painéis de azulejos publicitários que revestem a fachada são réplicas dos que existiram em 1918, realizados por Licínio Pinto.

 



loading...



COMENTÁRIOS DOS LEITORES


Find more about Weather in Coimbra, PO
Click for weather forecast


NEWSLETTER

Subscrever a newsletter:



Sair da newsletter:

ARRENDA-SE.NET

Quartos, apartamentos, casas, etc

RECADINHOS

Últimos recadinhos dos leitores:

Congratulations for the site. It is very nice to get more informations about Portugal. A beautiful country.
Matheus Smith 2016-07-30 23:39:20


RELÓGIO

Veja que horas são no mundo

NOTÍCIAS

Jornal O PÚBLICO

Imigração: uma coisa é o que diz a lei, outra é como tratamos os imigrantes
Portugal está bem classificado no ranking europeu de integração dos imigrantes, tem "uma uma política generosa”, reconhece o sociólogo Pedro Góis , mas depois demora três a quatro anos a conceder a nacionalidade "porque o sistema está bloqueado”

O que acontece no cérebro numa resposta inata aos cheiros?
Equipa de investigadores do Centro Champalimaud confirmou a função de uma região do cérebro, o corno lateral, na resposta inata aos cheiros usando o modelo da mosca-da-fruta e explorando a sua conhecida aversão ao cheiro do CO2

O que nos diz a cauda dos ratinhos sobre o desenvolvimento embrionário?
Cientistas conseguiram alterar o tamanho normal da cauda de ratinhos, um resultado que pode ser importante para a compreensão de outros processos como metástases.

Apoio às artes: um modelo em construção
Esta é uma nova etapa de um processo a continuar em concertação com todas as partes.

País e directores defendem mudanças curriculares para combater insucesso no 1.º ciclo
Programas extensos e pouca articulação com as famílias, defendem, podem explicar que em distritos como Beja e Faro 22% das crianças chumbem pelo menos uma vez até ao 4.º ano.

Robots vão obrigar 700 mil trabalhadores a mudar de emprego
Até 2030, o emprego vai deslocar-se da indústria ou do comércio para sectores como a assitência social, os cuidados de saúde ou a construção. Trabalhadores terão de ser reconvertidos e a CIP exige iniciativas públicas que apoiem esta transição.

NOTÍCIAS

Jornal EXPRESSO

(c) 2014 Portal REGIAOCENTRO.ORG

Termos de Serviço

Privacidade