Sem FOTO:1

A arquitectura industrial do sec. XX e a azulejaria portuguesa

azulejaria portuguesa

 

O desenvolvimento económico e social que se operou na viragem do século XIX para o XX levou ao surgimento de uma classe urbana de pequenos industriais e comerciantes, atenta aos novos consumos e modas da época. A estética Arte Nova, veio servir os interesses desta burguesia, na renovação de hábitos sociais e desenvolvimento cosmopolita do início do século xx, que estiveram na origem do aparecimento de superfícies edificadas “modernas". O gosto Arte Nova possibilitou, com o emprego do azulejo, um estilo decorativo mais fácil de “modernizar” fachadas, por vezes incaracterísticas, através do colorido vibrante, da saturação dos ornatos e da sensualidade das formas. Os edifícios fabris e os estabelecimentos comerciais ostentavam letreiros e painéis figurativos e ornamentais que serviam para anunciar as próprias lojas e a especialidade dos produtos ou serviços aí vendidos. Para além de um sinal de modernidade era uma forma de atrair a atenção dos clientes, tirando partido das potencialidades plásticas do azulejo: a cor, a forma, a textura, o desenho, o brilho. 

Pelas vantagens higiénicas e de resistência que o azulejo oferecia, aliadas ao relativo baixo custo, as primeiras experiências da utilização publicitária do azulejo compreendiam os painéis para revestimento de fachadas.

A Serralharia Progresso edificada em estilo Arte Nova, localizada na rua 8 e 33 em Espinho, filial da Fábrica de Manuel Francisco da Silva, em Macieira de Cambra, inaugurada em 1914 é disso exemplo. As instalações da unidade fabril foram sofrendo aumentos para a vitrificação e a fundição, o que lhe conferiu a designação mais conhecida dos espinhenses, Fundição Progresso. Estes espaços da fábrica sofreram um incêndio em 1933 reduzindo a escombros as secções de fundição, alumínio e serralharia. Após uma longa história de desenvolvimento industrial a fábrica foi encerrada em 1990 e em 2003 foi demolida para construção de uma unidade habitacional e comercial.

Os painéis de azulejos publicitários que revestem a fachada são réplicas dos que existiram em 1918, realizados por Licínio Pinto.

 


COMENTÁRIOS DOS LEITORES


Find more about Weather in Coimbra, PO
Click for weather forecast


NEWSLETTER

Subscrever a newsletter:



Sair da newsletter:

ARRENDA-SE.NET

Quartos, apartamentos, casas, etc

RECADINHOS

Últimos recadinhos dos leitores:

Congratulations for the site. It is very nice to get more informations about Portugal. A beautiful country.
Matheus Smith 2016-07-30 23:39:20


RELÓGIO

Veja que horas são no mundo

NOTÍCIAS

Jornal O PÚBLICO

O caos dos Mão Morta, o amor dos Future Islands e a realidade de Kate Tempest no primeiro dia de Paredes de Coura
Num dia em que sem surpresas os Future Islands foram a banda preferida do público, surpreenderam o psicadelismo dos BEAK> e a spoken word de Kate Tempest. O festival não correu tão bem para o lado dos The Wedding Present.

Incêndios: A1 cortada nos dois sentidos entre Albergaria e Aveiro
Não há previsão de quando a circulação será retomada.

Supremo Tribunal brasileiro nega indemnização por demarcação de terras indígenas
Decisão negou compensação ao estado do Mato Grosso e deu força aos debates acerca do “marco temporal”, entendimento que quer limitar os direitos indígenas no Brasil.

Sp. Braga e Marítimo com níveis de pressão distintos na Liga Europa
Minhotos, com mais rodagem europeia, defrontam os islandeses do FH. Madeirenses medem forças com o poderoso Dínamo Kiev.

St. Vincent vai realizar uma adaptação de O Retrato de Dorian Gray
Conhecida pela música que faz como St. Vincent, Annie Clark vai-se estrear na realização de longas metragens. A sua adaptação do romance de Oscar Wilde terá uma mulher no papel principal.

CDS diz que descordenação no combate aos incêndios não se resolve com "papéis"
Adolfo Mesquita Nunes reage à declaração de calamidade pública

NOTÍCIAS

Jornal EXPRESSO

(c) 2014 Portal REGIAOCENTRO.ORG

Termos de Serviço

Privacidade