REGIAOCENTRO.ORG
Ilustração sobre a Localidade

Coimbra, a música e o Fado

Património Cultural e Imaterial da Humanidade

Enquanto uma das primeiras capitais de Portugal e sede da mais antiga Universidade Portuguesa, Coimbra tem sido ao longo dos séculos um importante centro musical. Historicamente, a Sé Nova, o Mosteiro de Santa Cruz (fundado por D. Afonso Henriques) e a Universidade (com aula de música desde 1323) constituíram os principais centros de produção e prática musical. Não sendo fácil chegar com exactidão à origem do fado de Coimbra, é um facto que este se encontra intimamente ligado às tradições académicas constituindo um estilo musical português. 

É cantado por uma só pessoa (homem) de capa e batina característica dos estudantes e é acompanhado por uma guitarra clássica (viola) e uma guitarra portuguesa. Os temas mais usados são os amores dos estudantes, o amor pela cidade, e outros temas relacionados com a condição humana. Sabe-se com toda a certeza que a sua origem resulta da história da própria cidade e suas gentes multi étnicas, de proveniências muito variadas que foram povoando a região. Estas gentes, nos seus tempos lúdicos, davam expressão aos estilos musicais das suas proveniências em espaços públicos. 

Desde a reconquista, Coimbra estabeleceu-se enquanto poderoso espaço de mercado aberto, onde se estabeleciam relações comerciais entre o Reino Cristão a Norte e o Muçulmano a sul. A miscigenação entre povos e culturas veio a estender-se ainda mais com o nascimento da Universidade e a chegada à cidade de muitos jovens estudantes. Esses jovens, de muitas origens sociais e geográficas, davam azo às suas liberdades e tempos lúdicos cantando nas ruas. 

Sabe-se factualmente que D. João III em 1539 enviou ao então Reitor da Universidade uma missiva onde lhe solicitava que moderasse esses hábitos estudantis de cantar nas ruas pela noite, pois incomodava os moradores que se queixavam da algazarra.

É de crer portanto que esteja na origem do fado ou canto de Coimbra, a existência de formação Universitária em música desde os primórdios da Universidade, conjugada com a variedade de estilos musicais oriundos da canção popular com a canção erudita praticada pelos aristocratas estudantes, associada à prática de cantar nas ruas em serenatas, canções de amor, trovas e miles. 

Foi, provavelmente, a miscigenação de culturas musicais, entre a erudita e a popular, uma prática social de cantar nas ruas (que impedia o uso do cravo ou do piano que na época acompanhava habitualmente o canto aristocrático) que evoluiu para a canção que hoje se designa por fado de Coimbra.

A utilização do fado de Coimbra enquanto “arma” política, recai nos tempos contemporâneos, sobre nomes como os de Zeca Afonso, Adriano Correia de Oliveira, entre outros, que dele se valeram para fazerem passar a sua mensagem política de forma a permanecer no ouvido do povo que de seguida os copiava, cantando

O fado de Coimbra foi considerado em 2011 Património Cultural e Imaterial da Humanidade pela UNESCO.

 

NOTA: Artigo de Salomé Reis especialmente os sites Região Centro e Região Norte.


COMENTÁRIOS DOS LEITORES


Find more about Weather in Coimbra, PO
Click for weather forecast


NEWSLETTER

Subscrever a newsletter:



Sair da newsletter:

ARRENDA-SE.NET

Quartos, apartamentos, casas, etc

RECADINHOS

Últimos recadinhos dos leitores:

Congratulations for the site. It is very nice to get more informations about Portugal. A beautiful country.
Matheus Smith 2016-07-30 23:39:20


RELÓGIO

Veja que horas são no mundo

NOTÍCIAS

Jornal O PÚBLICO

Não à eutanásia, não ao referendo
Esta não é uma discussão de certo ou de errado ou que suscite uma resposta binária de verdadeiro ou falso. Exige-se, por isso, capacidade para ouvir e esforço em compreender os argumentos contrários.

Eutanásia no país do faz-de-conta
Serei um objetor ativo, pelos princípios hipocráticos da minha profissão e porque estou ciente de que há sempre algo que poderei fazer, para que o doente encontre a sua paz, sem lhe antecipar a morte.

Da defesa da ideia da residência alternada obrigatória e da sua insustentabilidade na ótica do superior interesse das crianças
Ao manter a solução em vigor a sociedade contribui para a manutenção da estabilidade das crianças, prosseguindo assim o seu superior interesse, princípio essencial consagrado.

PPP de Medina e Costa: mudar as regras é mau sinal
O BE é claro: faz mal Fernando Medina em insistir no confronto com o Tribunal de Contas e fez mal António Costa em alterar a lei das PPP para libertar Medina do escrutínio do tribunal.

Novas soluções para o Interior
O Interior só inverterá o despovoamento com políticas “hard”, pois as “soft” já mostraram que valem pouco.

Número de mortos pelo novo coronavírus na China continental sobe para 1807
Em toda a China continental, o Covid-19 já infectou 72.300 pessoas. Autoridades chinesas dizem que a propagação do novo coronavírus está em vias de ser controlada, OMS alerta para o excesso de optimismo.

NOTÍCIAS

Jornal EXPRESSO

(c) 2014 Portal REGIAOCENTRO.ORG

Termos de Serviço

Privacidade