Ilustração sobre a Localidade

História

O burgo de Leiria se desenvolveru a partir do morro onde está implantado o castelo. Depois do século XIII desceu encosta abaixo, até chegar à beira do rio Lis. Leiria nasceu da Collipo romana, fundada no século I a.C, que terá existido na colina de São Sebastião, nas proximidades de Andreus.

Todo o burgo esteve sob domínio dos mouros, até que em 1135, D. Afonso Henriques conquistou o castelo, atribuindo-lhe foral em 1142. A fortaleza foi reconstruída por D. Sancho em 1192, que lhe atribuiu foral em 1195. Neste ano verificou-se o derradeiro ataque dos muçulmanos.

Apesar de Afonso III, em 1254, reunir cortes em Leiria, apenas no reinado de D. Dinis o castelo seria decretado residência real (nesta altura foi doado a Santa Isabel de Aragão juntamente com a alcaidaria). A partir daí, deu-se a expansão da povoação para fora das muralhas protectoras do castelo. As muralhas cercaram novamente a vila pois os perigos de novas guerras com Castela estavam sempre presentes.

Em 1385 teve início a Dinastia de Aviz com a Batalha de Aljubarrota. É nessa altura que é estabelecida a paz defenitiva com Castela. Tem início também a expansão no Norte de África.
Enquanto o reino se afirmava além fronteiras, o povoado crescia até ao rio. As ruas e praças quatrocentistas recebem as feiras medievais afamadas no reino. A conjuntura de desenvolvimento económico e social favoráveis do século XV permitiu que em Leiria fossem criadas a primeira fábrica de papel e uma das primeiras oficinas tipográficas do reino.

Foi durante o século XVI que se construíram a Sé Catedral e a Igreja da Misericórdia. Na Praça Rodrigues Lobo, centro da cidade antiga, foi edificado, também nesta altura, o Paço dos Marqueses de Vila Real. Neste local terá existido um hospital na Igreja de S. Maninho.

O poeta Francisco Rodrigues Lobo, conta, na sua poesia seiscentista sobre a Igreja do Convento de Santo Agostinho, barroca, e também das vistas panorâmicas só possíveis de alcançar do Santuário de Nossa Senhora da Encarnação.
Deste lugar vê-se a cidade, as Termas de Monte Real e o famoso Pinhal de Leiria, base das caravelas usadas nos Descobrimentos Portugueses. Este secular pinhal existe até hoje e continua a circundar a Lagoa da Ervedeira.

COMENTÁRIOS DOS LEITORES

Ainda não há comentários para este artigo.

Find more about Weather in Coimbra, PO
Click for weather forecast

NEWSLETTER

Subscrever a newsletter:



Sair da newsletter:

ARRENDA-SE.NET

Quartos, apartamentos, casas, etc

RECADINHOS

Últimos recadinhos dos leitores:

Congratulations for the site. It is very nice to get more informations about Portugal. A beautiful country.
Matheus Smith 2016-07-30 23:39:20


RELÓGIO

Veja que horas são no mundo

NOTÍCIAS

Jornal O PÚBLICO

Vance ao lado de Trump é uma má notícia para a Ucrânia
O candidato republicano a vice-presidente é uma das vozes mais estridentes na oposição ao apoio norte-americano a Kiev. O senador defende negociações que comprometem soberania da Ucrânia.

Novo Governo britânico apresenta plano para “tirar o pé do travão” do Reino Unido
Carlos III leu o programa do executivo trabalhista de Starmer, que inclui a habitação, a economia, a transição energética e as infra-estruturas nas prioridades para o país alcançar a “estabilidade”.

Governo apresenta proposta de alteração do sistema de avaliação dos médicos
Secretário-geral do SIM, Nuno Rodrigues, diz que sistema está completamente desadequado e torna o sector da saúde privado e o estrangeiro atractivos para o início da carreira dos médicos.

Montenegro cancela viagem a Oxford por estar com gripe, mas recebe partidos na sexta-feira
O PÚBLICO confirmou junto do gabinete do primeiro-ministro que Montenegro está engripado. Por essa razão, o também líder do PSD foi obrigado a cancelar presença numa cimeira em Oxford.

Inaugurado espaço em Lisboa para acolher quem vive na rua há menos de um mês
Carlos Moedas aproveitou a iniciativa para recordar a abertura do projecto “Unidade Municipal de Emprego e Autonomia”, em Março deste ano, que apoia 15 pessoas.

No Vale da Mata as vinhas são podadas duas vezes por ano
Na apresentação dos novos Vale da Mata falou-se de uma técnica que atira as vindimas para Novembro, de forma a termos vinhos frescos e menos alcoólicos. É a engenharia face às alterações climáticas.

NOTÍCIAS

Jornal EXPRESSO

(c) 2014 Portal REGIAOCENTRO.ORG

Termos de Serviço

Privacidade